Home  |  Contact  

Email:

Password:

Sign Up Now!

Forgot your password?

CASA DAS LETRAS&ARTES DO TROVADOR
 
What’s New
  Join Now
  Message Board 
  Image Gallery 
 Files and Documents 
 Polls and Test 
  Member List
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 IMAGENS & GIFES 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 BIBLIOTECA DA LUSOFONIA 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 SONETOS IMORTAIS 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 POEMAS AVULSOS 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 «« POESIA DE CORDEL «« 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 POESIA HISPÂNICA 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 ARTE E HISTÓRIA NA PALAVRA E NA IMAGEM. 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 OBRA PRIMA DO DIA 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 «« EFEMÉRIDES »» 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 CULINÁRIA 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 80 MULHERES FAMOSAS COM MAIS DE 80 ANOS. 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 TÚNEL DO TEMPO 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 PORTUGAL - JARDIM À BEIRA MAR PLANTADO 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 MEU BRASIL BRASILEIRO - TODOS OS ESTADOS 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 ORAÇÕES 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 «« MÚSICA E SENTIMENTOS »» 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 NATAL É QUANDO O HOMEM QUISER 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 POETAS DEL MUNDO 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 DIA DOS NAMORADOS 2010 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 CARNAVAL 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 PÁSCOA E QUARESMA 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 DIA DA MULHER 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 MP 3 & MIDIS 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 DIA DA MÃE 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 1ª DE MAIO - DIA DO TRABALHADOR 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 DIA DA CRIANÇA NA EUROPA 
 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 
 FESTAS JUNINAS 
 
 
  Tools
 
BIBLIOTECA DA LUSOFONIA: ARAÚJO JORGE ( J. G. DE )
Choose another message board
Previous subject  Next subject
Reply  Message 1 of 42 on the subject 
From: QUIM TROVADOR  (Original message) Sent: 30/11/2009 09:58
 
luna0410-2.jpg luna0410-2 picture by silvia_psp_2008


Filosofia



Você quer mesmo saber
como a vida se levar?
Pois é... primeiro viver
e depois, filosofar...

Diz que é rico... Pode ser...
Mas pode ser que não seja...
Ser rico... é apenas poder
fazer o que se deseja. . .

Nessa eterna e dura lida
renasço a cada momento
lavando as dores da vida
no rio do esquecimento...

Onde o sonhar de outra idade?
A fé que tive, e perdi?
Hoje... chego a ter saudade
daquele ... que já morri...


(Poema de JG de Araujo Jorge
do livro – Cantiga do Só – 1964)





Formatação Luna


First  Previous  28 to 42 of 42  Next   Last  
Reply  Message 28 of 42 on the subject 
From: QUIM TROVADOR Sent: 01/12/2009 14:07
 

luna1912.jpg luna1912 picture by lunamaria2009


Vermelho e branco


O sangue vermelho
do homem branco,
do homem preto,
do homem amarelo,
o sangue é vermelho,
é um sangue só.

O leite branco
da mulher branca,
da mulher preta,
da mulher amarela,
o leite é branco,
é um leite só.

Deus pôs por dentro de homens
e mulheres
de aparências tão diferentes,
uma humanidade só:
- o mesmo anseio, a mesma fome,
o mesmo sonho, o mesmo pó;
o mesmo sangue vermelho,
da cor da vida, da cor
do amor,
e mais:
o mesmo leite branco,
da cor da paz.


(Poema de JG de Araujo Jorge
do livro – Mensagem – 1966 )



Formatação Luna


Reply  Message 29 of 42 on the subject 
From: SEARA DA PALAVRA Sent: 02/12/2009 07:22
J. G. de Araújo Jorge

O LADO BOM
 
Quero ser uma ilha,
um pouco de  paisagem,
uma janela aberta,
uma montanha ao longe,
um aceno de mar.

Quando precisares de sonho,
de um canto de beleza,
de um pouco de silêncio,
ou simplesmente
de sol... e de ar...

Quero ser o lado bom
em que pensas,
isto que intimamente
a gente deseja
mas nem sempre diz
- quero ser, naquela hora,
o que sentes falta
para seres feliz...

Que quando pensares
em fugir de todos
ou de ti mesma, enfim,
penses em mim...
 
 


Reply  Message 30 of 42 on the subject 
From: SEARA DA PALAVRA Sent: 02/12/2009 07:22

ladyazul.jpg ladyazul picture by lunamaria2009


Desejos... Na manhã de Sol


Na manhã de sol
bela e serena,
depois de um dia de chuva
depois que à noite ventou,
- tive desejos de apanhar aquela mulher morena
que passou . . .

Devia ter na boca rubra
um gosto de uva
um gosto bom de vinho,
e quando ela me olhou,
- pensei na fruta madura que o vento da noite derrubou
à margem do caminho...

Ah! o garoto que fui!  Ah! o garoto que sou!
Na inquietação da minha vida,
nas voltas do meu caminho,
sempre a vontade incontida
de desejar as frutas do quintal vizinho!

Na manhã de sol
bela e serena,
- depois de um dia de chuva,
- ah! o garoto que sou!
tive desejos de apanhar aquela mulher morena
que passou!

( Poema de JG  de Araujo Jorge do livro
Os mais
belos poemas que o amor inspirou
- 1965 )


Formatação Luna


Reply  Message 31 of 42 on the subject 
From: SEARA DA PALAVRA Sent: 02/12/2009 07:23
Pequeno Canto Num Dia de Luta"

(Poema de JG de Araujo Jorge  extraído
do livro A Outra Face   - 1949)

E esta luta. Nunca chegar em casa.
O chuveiro, a secretária, os livros, a música,
a janela aberta, e ainda um resto de tarde
a escorrer como paisagem.

E esta luta. A rua que entra conosco, a poeira,
os ruídos, os automóveis espatifados, a derrapagem [estridente,
o atropelado palavrão.

Nem saber que ouve tarde,

esquecer os horizontes,
nem encontrar a noite, nem chegar às estrelas,
apenas o gás neon, os letreiros alucinados,
a luz caminhando, escorrendo nas ruas, nos bondes fantásticos.

Nunca chegar em casa. Viajar no livro aberto
e conversar com o mundo, sem interrupção.

apenas com a secretária, a cadeira conhecida
que guarda nosso corpo na ausência,
a paisagem calma, retangular, de onde podem surgir tantas viagens imprevistas.

Nunca chegar em casa. O lirismo doméstico
num sorriso que apaga as nuvens e os ruídos.

A sensação trágica de espreita criminosa
do desejo burguês que assassinará o poeta [cotidianamente
na cotidiana e sempre frustrada tentativa de fuga.


Reply  Message 32 of 42 on the subject 
From: SEARA DA PALAVRA Sent: 02/12/2009 07:23

Desejos... na Manhã de Sol

( Poema de JG  de Araujo Jorge do livro

Os mais belos poemas que o amor inspirou - 1965 )

Na manhã de sol

bela e serena,
depois de um dia de chuva
depois que à noite ventou,
- tive desejos de apanhar aquela mulher morena
que passou . . .

Devia ter na boca rubra
um gosto de uva
um gosto bom de vinho,
e quando ela me olhou,
- pensei na fruta madura que o vento da noite derrubou
à margem do caminho...

Ah! o garoto que fui!  Ah! o garoto que sou!
Na inquietação da minha vida,
nas voltas do meu caminho,
sempre a vontade incontida
de desejar as frutas do quintal vizinho!

Na manhã de sol
bela e serena,
- depois de um dia de chuva,
- ah! o garoto que sou!
tive desejos de apanhar aquela mulher morena
que passou!

                                                                                        

Reply  Message 33 of 42 on the subject 
From: SEARA DA PALAVRA Sent: 02/12/2009 07:24
 

 

"Alvorada Eterna"

Quando formos os dois já bem velhinhos,
já bem cansados, trôpegos, vencidos,
um ao outro apoiados, nos caminhos,
depois de tantos sonhos percorridos...

Quando formos os dois já bem velhinhos
a lembrar tempos idos e vividos,
sem mais nada colher, nem mesmo espinhos
nos gestos desfolhados e pendidos...

Quando formos só os dois, já bem velhinhos,
lá onde findam todos os caminhos
e onde a saudade, o chão, de folhas junca...

Olha amor, os meus olhos, bem no fundo,
e hás de ver que este amor em que me inundo
é uma alvorada que não morre nunca!

J. G. de Araujo Jorge


Reply  Message 34 of 42 on the subject 
From: SEARA DA PALAVRA Sent: 02/12/2009 07:25
 
"A Luz"

Ela veio...( E a minha alma tinha a porta
aberta, e ela entrou...Casa vazia
e estranha, esta que em plena luz do dia
lembrava a tumba de uma noite morta...)

Que ela havia chegado, eu nem sabia...
Mas, pouco a pouco, e a data não importa,
minha alma, por encanto, se conforta,
e há risos pela casa...E há alegria...

Quem abrira as janelas? Quem levara
o fantasma da dor sempre ao meu lado?
Os antigos retratos, quem rasgara?

E acabei por fazer a descoberta:
- ela espantara as sombras do passado
e a luz entrara pela porta aberta!

J. G. de Araujo Jorge

Reply  Message 35 of 42 on the subject 
From: SEARA DA PALAVRA Sent: 02/12/2009 07:26
"Amargura"

Só podes me ofertar o silêncio e a amargura,
- meu pobre amor de ti só espera a indiferença...
Perdoa o meu amor... perdoa-me a loucura
que quem tem, como eu tenho, um coração, não pensa...

Há muito pela vida eu seguia à procura
de alguém que viesse encher de luz minha descrença...
Foi então que te vi... e julguei que a ventura
pudesse ainda encontrar nesta jornada imensa...

E foi assim que um dia eu fui sentimental...
Acreditei no amor... E, talvez por castigo
fizeste-me sofrer - mas não te quero mal...

Quem amou, fui eu só... Eu nunca fui amado!...
Mereço a minha dor, e este sofrer bendigo
na amargura cruel de me julgar culpado!

J. G. de Araujo Jorge

Reply  Message 36 of 42 on the subject 
From: SEARA DA PALAVRA Sent: 02/12/2009 07:26
 

Clique para acessar a p�na principal

 

 


Essa...

E
ssa, que hoje se entrega aos meus braços escrava
olhos tontos do amor de que aos poucos me farto,
ontem... era a mulher ideal que eu procurava
que enchia a minha insônia a rondar o meu quarto...

Essa, que ao meu olhar parado e indiferente
há pouco se despiu - divinamente nua -,
já me ouviu murmurar em êxtase, fremente:
-
Sou teu! ... E já me disse, a delirar: - Sou tua !

Essa, que encheu meus sonhos, meus receios vãos,
num tempo em que eram vãos meus sonhos, meus receios,
já transbordou de vida a nsia das minhas mãos
com a beleza estonteante e morna dos seus seios !

Essa, que se vestiu... que saiu dos meus braços
e se foi... - para vir, quem sabe? uma outra vez.
- segui-a... e eu era a sombra dos seus próprios passos..
- amei-a... e eu era um louco quando a amei talvez...

Hoje, seu corpo é um livro aberto aos meus sentidos
já não guarda as surpresas de antes para mim...
(
N
ão importa se há livros muita vez relidos
importa... é que afinal, todos eles têm fim...

Essa, a quem julguei Ter tanta afeição sincera
e hoje não enche mais a minha solidão,
simboliza a mulher que sempre a gente espera...
mas que chega, e se vai... como todas vão...

(Poema de JG de Araujo Jorge,
do livro - Amo – 1939)

 


Reply  Message 37 of 42 on the subject 
From: SEARA DA PALAVRA Sent: 02/12/2009 07:27

 
 

!!!Bom Dia, Amigo Sol!!!



Bom dia, amigo Sol! A casa é tua!
As bandas da janela abre e escancara,
- deixa que entre a manhã sonora e clara
que anda lá fora alegre pela rua!

Entre! Vem surpreendê-la quase nua,
doura-lhe  as formas  de beleza rara...
Na intimidade em que a deixei, repara
Que a sua carne é branca como a Lua!

Bom dia, amigo Sol! É esse o meu ninho...
Que não repares no seu desalinho
nem  no ar  cheio de sombras, de cansaços...

Entra! Só tu possuis esse direito,
- de surpreendê-la, quente dos meus braços,
no aconchego feliz do nosso leito!...


( Poema de JG de Araujo Jorge extraído do livro
Eterno Motivo; -  Prêmio Raul de Leoni,
da Academia Carioca de Letras - 1943 )


Reply  Message 38 of 42 on the subject 
From: SEARA DA PALAVRA Sent: 02/12/2009 07:28
  Enviado: 29/5/2007 03:36

 

 


no gesto do galho, na gota de chuva,
na rosa vermelha, no canto da criança estarei?
Difícil é achar-me
disperso me encontro na face das coisas
que chegam, que passam

Um olho no rio, um pé no caminho,
o sangue na aurora, as mãos pelo mar,
quem sabe onde estou?

Talvez passe junto a mim mesmo, quem sabe? 
Me olho nos olhos, me toco nas mãos,
me falo e respondo
não me reconheço.
Vou seguindo meu caminho a procurar-me.

"Procura"

(Poema de JG de Araujo Jorge  extraído

do livro A Outra Face   - 1949)

Vou seguindo meu caminho a procurar-me.
Estarei na estrela?  Na vaga do mar? 
Atrás da montanha?  Na água que corre estarei?
Na rua, no avião, no pássaro livre

 


Reply  Message 39 of 42 on the subject 
From: QUIM TROVADOR Sent: 02/12/2009 07:56

 
   


 
   


"Maldade "


Tu podes ser igual a todo o mundo

teres defeitos mais que toda a gente,

- que importa ? se este amor cego e profundo

teima em dizer que te acha diferente !

 
Para mim (eu que te amo como um louco)

os que falam de ti são línguas más,

- ah ! todo o amor que te dedico é pouco

e é sempre pouco o amor que tu me dás !


Sou a sombra que segue os teus desejos

e aos teus pés, numa oferta extraordinária

a minha alma vendeu-se por teus beijos...


Falam de ti... Escuto-os... Fico mudo...

Quanta maldade cruel, desnecessária

se eu já sei quem tu és... se eu sei de tudo !


(Poema de JG de Araujo Jorge extraído

do livro " AMO ! " 1a edição 1938 )



Reply  Message 40 of 42 on the subject 
From: QUIM TROVADOR Sent: 02/12/2009 07:56
  Enviado: 29/5/2007 03:36

 

 


no gesto do galho, na gota de chuva,
na rosa vermelha, no canto da criança estarei?
Difícil é achar-me
disperso me encontro na face das coisas
que chegam, que passam

Um olho no rio, um pé no caminho,
o sangue na aurora, as mãos pelo mar,
quem sabe onde estou?

Talvez passe junto a mim mesmo, quem sabe? 
Me olho nos olhos, me toco nas mãos,
me falo e respondo
não me reconheço.
Vou seguindo meu caminho a procurar-me.

"Procura"

(Poema de JG de Araujo Jorge  extraído

do livro A Outra Face   - 1949)

Vou seguindo meu caminho a procurar-me.
Estarei na estrela?  Na vaga do mar? 
Atrás da montanha?  Na água que corre estarei?
Na rua, no avião, no pássaro livre

 


Reply  Message 41 of 42 on the subject 
From: QUIM TROVADOR Sent: 02/12/2009 07:57

Esta Saudade

Esta saudade és tu... E é toda feita
de ti, dos teus cabelos, dos teus olhos
que permanecem como estrelas vagas:
dos anseios de amor, coagulados.

Esta saudade és tu... É esse teu jeito
de pomba mansa nos meus braços quieta;
é a tua voz tecida de silêncio
nas palavras de amor que ainda sussurram...

Esta saudade são teus seios brancos;
tuas carícias que ainda estão comigo
deixando insones todos os sentidos.

Esta saudade és tu... é a tua falta
viva, em meu corpo, na minha alma, viva,
... enquanto eu morro no meu pensamento.

J.G.de Araújo Jorge

 


Reply  Message 42 of 42 on the subject 
From: LIFE Sent: 20/12/2009 11:26

«« Dedicatória »» Este meu livro é todo teu, repara que ele traduz em sua humilde glória verso por verso, a estranha trajetória desta nossa afeição ciumenta e rara! Beijos! Saudades! Sonhos! Nem notara tanta cousa afinal na nossa história... E este verso - é a feliz dedicatória... onde a minha alma inteira se declara... Abre este livro... E encontrarás então teu coração, de amor, rindo e cantando, cantando e rindo com o meu coração... E se o leres mais alto, quando a sós, é como se estivesses me escutando falar de amor com a tua própria voz! J. G. de Araujo Jorge' _joinPromptText="" dojoType="InPlaceEditor">


«« Dedicatória »»



Este meu livro é todo teu, repara
que ele traduz em sua humilde glória
verso por verso, a estranha trajetória
desta nossa afeição ciumenta e rara!

Beijos! Saudades! Sonhos! Nem notara
tanta cousa afinal na nossa história...
E este verso - é a feliz dedicatória...
onde a minha alma inteira se declara...

Abre este livro... E encontrarás então
teu coração, de amor, rindo e cantando,
cantando e rindo com o meu coração...

E se o leres mais alto, quando a sós,
é como se estivesses me escutando
falar de amor com a tua própria voz!

J. G. de Araujo Jorge
Faltam 15 minutos para editar seu comentário.


First  Previous  28 a 42 de 42  Next   Last  
Previous subject  Next subject
 
©2022 - Gabitos - All rights reserved